terça-feira, 25 de dezembro de 2007

AnalogilhA


As palavras desta terra são vinha, imprevista vertigem, urze e faia de esplendorosa erosão. A mesa de basalto é fulgor de um Sol ancião…Ah, muitas foram as almas que beberam a água, a ultima gota deste eterno coração. Um pássaro branco atravessa a ilha nos olhos de uma criança, um cabelo solta-se, filamento de uma coroa em cintilação onde alguém acena com uma lenço de água rente a uma nostalgia. Uma ilha é um coração, verbo de mulher e enredo de eucalipto no vórtice da mão. Digo, ser ilhéu, é ser olhar, alma e corpo da ilha, é ser pedaço, sonho e melancolia, é ser marouço descalço na luz do dia e, semente de um ribeiro no olhar da solidão, é ser lonjura e ausência, fragrância e inocência, ou voz que se queda no silêncio de um lábio em aromas de excitação. A memória escurece o olhar, um rumor ecoa no chão, penumbra e encanto em mística deambulação, cântaros de letras partem e derramo a profecia numa guitarra contra a noite, traço de uma lágrima que entardece no clamor de um acoite. Morri e renasci mil vezes e, no amor renasci outras mil, ardo e respiro, acalmo e suspiro, mas caminho no teu destino, candura de uma noite ou chuva colorida entre o fogo que nos consome e o êxtase fugidio. Saibas, minha Ilha, ninguém vê como eu a sombra tombada nos pátios do teu coração, o segredo do teu nome, a estação do teu olhar ou a descalça palavra que arde nos destroços da tua frágil perturbação. Ente nós, existe um tinir de sinos, uma melodia solar, uma concha de idílico beijar, chapéu de rosas em abas de cumplicidade, entre nós, existem silhuetas que adormecem nos jardins da nossa silenciosa eternidade. Solto nas folhas dos jarro o silêncio do meu pensamento, a humidade dos meu olhar…liberto o passado, a insónia junto ao fogo, a íngreme baía do nosso encantamento…deixo na maré as minhas letras…para encontrarem o sonho…a semente do teu pensamento…

7 comentários:

Diva disse...

Curioso como em três linhas apenas já se identifica o autor do texto... Cada vez mais os teus textos te revelam e têm a tua assinatura entre linhas.
Vejo que regressaste à analogia "mulher-ilha" ou "ilha-mulher" nesse caso...
Enfim, traços de um romântico incurável embora sem crença como assim indica a nostalgia constante. :)

Beijo enCANTAdo

Eärwen Tulcakelumë disse...

"...deixo na maré as minhas letras…para encontrarem o sonho…a semente do teu pensamento..."

Que tuas palavras encontrem o destino certo, assim deseja a Senhora do Chamas nobre Amigo.
De meu mundo observo a beleza dessa imagem que bem conheço, e caracteriza tão bem a imagem do sonho...

Pérolas incandescentes de carinho,

Eärwen
26.12.07

Ser de Fogo disse...

Fico com poucas palavras para definir a riqueza do que li... É simplesmente maravilhoso e faz-me sonhar! Faz-me sonhar um amor que não vivi e que vive em mim!

plutao_anao@hotmail.com

Cöllyßry disse...

Neste virar de Ano…
Que se rasgue a venda do olhar
E seja mostrado o caminho
Para a Eternidade...

E...Te desejo

As pedras que atrapalham o caminho
Sejam varridas de vez
E possas caminhar sem sobressaltos…

Doce meu beijo


http://olharindiscreto.blogs.sapo.pt/

MEU DOCE AMOR disse...

Querido Mago:

O que te posso dizer perante tão belas palavras?Perante tão belo sentimento?

Aqui fico a ler,a ouvir,a sonhar...neste Mundo De Encanto.Era aqui que queria Morar.

Desejo-te um Ano Encantador meu Lindo Mago

Beijinho doce

GarçaReal disse...

Que o 2008 te traga a realização de um sonho há muito anseado.

Uma antiga amiga

Beijo grande lá do Lago

Maria Clarinda disse...

E os teus posts são para ler, reler e levar connosco. Belos os momentos que me fazes passar aqui.Obrigada